HOME Notícias

Notícias

Aconteceu no CNSA...

Apresentação do projeto em sala de aula
Projeto aplicado no CNSA transforma alunos em contadores de histórias

Construir memórias faz parte da vida de qualquer um de nós. As histórias que são contadas em cada etapa de nossa jornada ficam guardadas em pensamentos, rascunhos ou se perdem com o tempo. Alunos dos 8º anos do Ensino Fundamental aprenderam um pouco mais sobre como relatos de episódios, acontecimentos e fatos vividos por grupos de pessoas ou individualmente têm um grande significado histórico e afetivo que merece ser valorizado.

Através do Projeto Chronos, desenvolvido pela professora de História, Juliana Kívia, os alunos puderam explorar novas possibilidades de compreensão dos modos de aprendizagem. De forma voluntária, os jovens participaram do "Cine debate - tecendo memórias", com a exibição do filme brasileiro “Narradores de Javé”, em seguida, foram convidados a produzir curtas metragem, a partir de relatos orais de pessoas comuns, que narravam histórias marcantes.

A culminância do projeto aconteceu com a exibição das produções dos alunos. "A gente nunca tinha feito algo parecido, normalmente os trabalhos nunca são de vídeo. A experiência foi nova, foi boa. Tem muita coisa que a gente não sabia e agora a gente sabe", relata Cecília Frota, uma das alunas que participou do Projeto.
A idealizadora do projeto relata que a proposta foi de estimular nos alunos outras formas de aprendizados. “Eu preciso desenvolver no íntimo do meu aluno que a escola é um ambiente de produção, que é um ambiente de desenvolver a curiosidade, que é uma mola propulsora para o desenvolvimento intelectual dele”, comenta a professora de História Juliana Kívia.

O projeto Chronos contou também com a valiosa participação da historiadora e psicóloga Aílma Barros, que contribuiu para o debate, no momento da exibição dos filmes. “É um projeto bem rico, que permite que o aluno não só absorva aquele conhecimento, mas que ele compreenda como acontece todo o processo de construção de conhecimento. Estudar memórias, pesquisar memórias relacionadas a um determinado acontecimento é uma possibilidade muito interessante de compreender como se dão os processos historiográficos e como isso chega pra gente como um produto já pronto”, relata. Outro convidado que contribuiu com a atividade foi o professor de Língua Portuguesa Marcelo, que orientou os alunos nos aspectos linguísticos das produções e participou do debate.

O projeto, que não contou como pontuação da disciplina, teve adesão expressiva dos alunos e já tem perspectiva de continuidade em 2019.